Como proteger os idosos da depressão durante o confinamento

Postado: 9 de novembro de 2020

A pandemia de Covid-19 impôs o distanciamento social a pessoas de todas as idades, mas principalmente à população idosa, que corre mais riscos de casos graves. Com o confinamento, os problemas de saúde mental podem aparecer ou ser agravados, já que não apenas o convívio social, mas também o contato com a natureza tem extrema importância na nossa qualidade de vida.

O envelhecimento por si só já oferece mais riscos para o desenvolvimento de depressão, seja por fatores relacionados às limitações físicas e de saúde, seja pela viuvez, perda de amigos, papéis sociais desvalorizados ou alguma dificuldade financeira que possa vir com a aposentadoria. O confinamento se soma a essa equação e pode ser o estopim para os sintomas. Por isso, é importante que as pessoas que moram e convivem com idosos estejam alertas para os sinais de que algo está errado.

Mesmo que o idoso permaneça em casa, ele não deve deixar espaço para pensamentos negativos. É preciso ocupar o tempo com atividades e esse é o princípio da terapia ocupacional. Ler, fazer artesanato, costura, tricô, jogos, desenho, pintura, canto, aprender a mexer nas redes sociais ou pesquisar um novo hobby. Tudo isso pode ajudar a passar o tempo e ocupar a cabeça.

Uma grande aliada nesse momento é a internet. Se o idoso ainda não utiliza meios digitais, ele pode ser introduzido a eles para se comunicar nas redes sociais, ver vídeos dos netos e parentes pelo celular ou pelo computador, pesquisar novas receitas, vídeos, filmes e novos passatempos.

Publicado por: dolcevivere

128 visualizações

Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *